Erro grotesco multiplicou o teto dos gastos dos candidatos a vereador de Manaus

Candidatos a vereador de Manaus poderão gastar mais que os interessados na prefeitura de BH

Abraão Santana de Melo se candidatou a vereador de Manaus em 2012 pelo PTC. Disse à justiça eleitoral que gastaria até R$ 300 mil na campanha, mas a prestação de contas trouxe apenas cinco despesas. Quatro delas variavam entre R$ 622,00 e R$ 1.592,00. Contudo, uma delas, um evidente erro de digitação, marcava R$ 28,5 milhões.

Não deveria ter qualquer importância, afinal, Abraão ficou na 418ª posição de uma campanha que elegia apenas 41 nomes. Mas, agora em 2016, o custo das campanhas mais caras de 2012 é utilizado como base para se definir o teto a ser gasto pelos concorrentes. Com isso, será permitido aos candidatos à Câmara Municipal consumirem até R$ 26,7 milhões. Continuar lendo Erro grotesco multiplicou o teto dos gastos dos candidatos a vereador de Manaus

Mesmo com o RJ no alvo, quase metade dos mandados contra o terrorismo foram cumpridos em SP

Contra o terrorismo, foram cumpridos mandados em 5 das 6 sedes do futebol olímpico

Como a investigação corre em sigilo, pouco se sabe a respeito da operação Hashtag, que tenta deter uma dúzia de potenciais terroristas jurados ao Estado Islâmico. Espalhado em todo o país, o grupo planejava um atentado nos Jogos Olímpicos. Mas uma planilha liberada pelo Ministério da Justiça dá a entender que, apesar de o Rio de Janeiro ser o palco do evento, os esforços se concentravam em São Paulo.

Dos 31 mandados, nada menos do que 13 foram cumpridos na capital paulista, com direito a quatro prisões. No Rio mesmo, apenas uma detenção e uma busca e apreensão. Os outros cinco presos encontravam-se no Rio Grande do Sul, Paraná, Paraíba, Ceará e Amazonas. Há ainda dois suspeitos sendo procurados. Continuar lendo Mesmo com o RJ no alvo, quase metade dos mandados contra o terrorismo foram cumpridos em SP

No início da década, um atentado terrorista matou 12 crianças no Rio de Janeiro

Não é preciso ser um “profissional do terror” para dar fim à vida de muitos inocentes

Na carta suicida, ele citou Jesus. Mas, além de ser conhecido pelo apelido de Al Qaeda, a própria irmã entregou que Wellington Menezes de Oliveira era “ligado ao islamismo“. O politicamente correto, contudo, preferiu chamar de “Massacre” ou “Chacina de Realengo” o atentado que vitimou 12 adolescentes dos 13 aos 16 anos na Escola Municipal Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro.

Não faz muito tempo. Tudo ocorreu na manhã de 7 de abril de 2011, ainda no início do governo Dilma Rousseff. O jovem de 23 anos precisou apenas de dois revólveres, carregadores “speadloader” e alguns minutos. Só não levou à morte os outros 22 feridos porque seria abatido.

Às 8h da manhã, ele havia se apresentado como palestrante que conversaria com os estudantes. Ao entrar numa sala de aula da 8ª série, puxou as armas com ambas as mãos e começou a atirar. Mirava braços e pernas dos garotos, mas a cabeça das garotas, a quem chamava de “seres impuros”. Continuar lendo No início da década, um atentado terrorista matou 12 crianças no Rio de Janeiro

Contra a organização terrorista, a PF cumpriu mandados em todas as regiões do Brasil

Suspeita-se que uma ONG “humanitária e educacional” esteja ligada aos terroristas detidos

Não chega a ser surpresa pois o alvo era por demais previsível, mas a confirmação coincide com os piores pesadelos de qualquer país: o Estado Islâmico tem uma célula no Brasil que planejava atentados para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

O pouco que se sabe até o momento é bastante assustador. A Operação Hashtag, como foi denominada pela 14ª vara federal de Curitiba – não, não é a de Sérgio Moro –, cumpriu mandados de prisão, busca e condução coercitiva em nove estados (Amazonas, Ceará, Paraíba, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul) de todas as regiões do Brasil. Ao todo, são doze prisões temporárias dentre 50 alvos observados pelo DAT, a divisão anti-terrorismo da Polícia Federal. Continuar lendo Contra a organização terrorista, a PF cumpriu mandados em todas as regiões do Brasil