facebook
Ir para o conteúdo

Atualizada a inflação, o Bolsa Família sofreu corte de 8,82% em 2015

O Portal da Transparência registra em 2014 repasses de exatos R$ 27.189.725.615,00 para a Lei nº 10.836, a que deu início ao Bolsa Família (ao menos com este nome). Um ano depois, já no segundo mandato de Dilma, a quantia foi R$ 460 milhões superior, findando em um número semelhante: R$ 27.650.301.339,00. Ao todo, o programa cresceu 1,69% em 2015.

Contudo, a inflação do período acumulou alta de 10,67%. Na ponta do lápis, para não reduzir o poder de compra, o Bolsa Família deveria ter recebido um aporte na casa dos R$ 3,1 bilhões, chegando a um total de R$ 30,3 bilhões. Em outras palavras, no primeiro ano do segundo mandato da petista, o programa na prática findou reduzido em 8,82%.

O cálculo foi realizado pela Calculadora do UOL com base no IPCA Geral entre dezembro de 2014 e dezembro de 2015 – meses do pagamento das últimas parcelas de cada período observado.

É importante revisitar os números agora para que a população entenda que poucas coisas desidratavam mais os efeitos dos programas sociais do que a própria inflação negligenciada pela equipe econômica petista.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.