facebook
Ir para o conteúdo

Delcídio do Amaral, Lula e Henrique Alves possuem um interesse em comum: foro privilegiado

Ao entregar tudo o que sabe sobre o Petrolão, Delcídio do Amaral reprisa o papel de Roberto Jefferson no Mensalão, ou ainda o de Pedro Collor no “Esquema PC”. Vera Magalhães, na Veja, explica que o senador petista espera conseguir assim apoio popular o suficiente para se proteger de um processo de cassação que lhe tomaria o foro privilegiado.

O mesmo foro privilegiado que Lula busca ao tornar-se ministro de Dilma. O mesmo foro privilegiado que Henrique Alves evita perder, e por isso se nega a devolver o Ministério do Turismo, mesmo com o PMDB se esforçando para deixar o governo e conseguir, via impeachment, entregá-lo a Michel Temer.

O mais grave de toda essa situação é a certeza que os políticos mais graúdos têm de que a impunidade está mais garantida não num juiz de primeira instância, mas na Suprema Corte brasileira – no caso, o STF.

Até porque nenhum ditadura se descreve assim, o Brasil ainda é oficialmente uma democracia. Mas o cheiro já é dos piores. A independência entre os poderes, chave para a garantia de nossas liberdades, respira por aparelhos. Ou toma-se atitudes ainda em 2016, ou pode ser tarde demais.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.