facebook
Ir para o conteúdo

Desemprego da “crise Dilma” mira nordestinos, mulheres, jovens e pobres

Uma crise econômica não escolhe adversários, mas, como a corda arrebenta do lado mais fraco, é natural que ela se concentre nas camadas mais fragilizadas da sociedade. E o levantamento mais recente do IPEA prova que a recessão decorrente da desastrosa gestão Dilma prejudicou mais os nordestinos, as mulheres, os jovens e os pobres. Ou seja, justo aqueles que o PT queria se fazer de representante.

Um em cada quatro brasileiros com até 25 anos está desempregado. Na verdade, apenas 37% deles está trabalhando. No Nordeste, a desocupação já chega a 12,80% (no Sul, por exemplo, está em 7,35%). Entre as mulheres, a 12,75%. Entre quem possui apenas o primeiro grau, ou seja, os mais pobres, assusta ainda mais: 14,95%.

Mas tudo poderia testar bem pior se muitos brasileiros não tivessem arregaçado as mangas e começado a trabalhar por conta própria.

E ainda tem gente – uma minoria, é verdade – lutando para que esses gestores voltem ao poder.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.