Financiamento Coletivo

Quer apenas doar?

É simples. Basta clicar nos botões abaixo e contribuir com o valor que achar melhor.

DoaçãoValorBotão
ÚnicaLivre
MensalR$ 5,00
R$ 15,00
R$ 25,00

R$ 50,00
R$ 100,00

Quer entender a importância da doação?

Então senta que lá vem história…

Em um artigo corajoso, Sérgio Dávila defendeu que São Paulo nunca teve um prefeito “tão paparicado” quanto Fernando Haddad. Retrucava, assim, críticas feitas pelo petista à cobertura recebida do maior jornal do país. Com um Datafolha em mãos, o editor-executivo da Folha de S.Paulo comprovou que mais da metade da própria redação era composta de profissionais assumidamente de esquerda. Foi além: constatou que o norte ideológico dos jornalistas afetava o viés da publicação que comandava.

A notícia, contudo, estava no reconhecimento. Porque há tempos nas redes sociais grupos organizados denunciam uma agenda política camuflada no noticiário. Neste sentido, poucas evidências parecem mais claras que a edição 2013 do prêmio Congresso em Foco.

Enquanto o Brasil estava tomado por protestos de motivações obscuras, a publicação colheu a opinião de 166 setoristas que cobriam o parlamento nacional. O objetivo era definir os melhores congressistas do país. Ao fim, quatro partidos de esquerda foram os quatro partidos mais votados (PT, PSOL, PDT e PSB), com cinco das sete siglas brasileiras inscritas oficialmente no Foro de S.Paulo no alvo de 55% das escolhas. Ao todo, organizações explicitamente esquerdistas receberam 85% dos 1.146 votos.

A importância da análise política

Com a imprensa tomada por militantes, o papel do analista político ganhou importância. Cabe a ele despir a notícia para o leigo, descascando o verniz ideológico e trazendo para a linha aquilo que a pauta partidária escondeu na entrelinha. Com isso, é possível combater narrativas, enriquecer de argumentos a opinião pública e manter a memória do eleitor sempre viva.

Foi com este norte que forcei-me a dar publicidade ao que pensava. Num primeiro momento, de maneira informal, em minhas próprias redes sociais. Num segundo, em veículos independentes, como O Antagonista (por um semestre) e Implicante (onde assino como editor desde meados de 2017). Neste meio tempo, pude cobrir os protestos do inverno de 2013, a Copa de 2014, as eleições de 2014 e 2016, o impeachment de Dilma Rousseff e a transição para o governo Temer.

Contra-ataque

Com mídias alternativas fazendo cada vez mais barulho, era uma questão de tempo até que “o sistema” contra-atacasse. E o bombardeio veio forte em 2017. Antes, ainda que com considerável risco, era possível financiar tais projetos com receita publicitária advinda de programas terceirizados. Após ataques da imprensa tradicional ao modelo, as redes sociais deliberadamente alteraram os algoritmos silenciando justo as vozes mais incômodas. E, até a redação deste texto, vêm obtendo sucesso na investida – a depender do caso, a queda nas receitas supera os 90%.

Financiamento Coletivo

Por isso, tento aqui implementar outro modelo de negócio, desta vez focado no financiamento coletivo. O “crowdfunding” tem permitido a editores um mínimo de estabilidade, e fortalecido ainda mais a independência dos redatores. Com doações do próprio público, o compromisso da publicação com o leitor sofre menos interferência e todos ganham.

A depender do volume de doações, terei condições de contratar redatores que me auxiliem na produção diária de conteúdo para a web, além de pesquisas que realizo para a publicação de material exclusivo.

No que se investe

Sua doação me ajudará na manutenção dos seguintes projetos:

  • Implicante
    implicante.org
    Lançado como um blog militante, vem se convertendo numa revista política voltada a um público jovem.
  • Políticas
    politicas.info
    Também tendo a política como norte, assume-se como uma revista de variedades voltada a um público mais adulto.
  • Senso Incomum
    sensoincomum.org
    Revista política voltada à política internacional.
  • Livro sobre o impeachment de Dilma Rousseff
    Projeto ainda sem nome ou endereço na web
    A intenção é, ainda no primeiro semestre de 2018, concluir um livro sobre o impeachment de Dilma Rousseff.

Somados, todos estes projetos somam 950 mil seguidores e 2,7 milhão de leitores, que visualizam 25 milhões de impressões, gerando mais de um milhão interações (curtidas, compartilhamentos e comentários) em um intervalo de 28 dias.

Contrapartida

É permitido colaborar com qualquer valor, seja mensalmente ou uma única vez. Ao contribuir com este financiamento coletivo, qualquer doador receberá em troca:

  1. Uma newsletter semanal distribuída por email com um artigo exclusivo e um resumo das notícias mais importantes da semana;
  2. Um podcast semanal distribuído por Whatsapp comentando em no máximo 5 minutos o tema mais quente do noticiário;

Valores e Metas

Estão sendo estipuladas quatro metas iniciais, sempre de olho na “temporada 2018”, a mais importante da política nacional em muito tempo.

  • Meta I – R$ 3 mil/mês
    Quando a soma das doações atingir esta meta, terei condições de dedicar 50% do meu tempo a esta atividade.
  • Meta II – R$ 6 mil/mês
    Ao atingir esta meta, terei condições de dedicar 100% do meu tempo a esta atividade.
  • Meta III – R$ 9 mil/mês
    Ao atingir esta meta, terei condições de dedicar 100% do meu tempo a esta atividade, e contratar um redator que me ajude por meio período.
  • Meta IV – R$ 12 mil/mês
    Ao atingir esta meta, terei condições de dedicar 100% do meu tempo a esta atividade, e contratar um redator que me ajude em tempo integral.

Agora é só doar

DoaçãoValorBotão
ÚnicaLivre
MensalR$ 5,00
R$ 15,00
R$ 25,00

R$ 50,00
R$ 100,00

Prestação de Contas

A partir de 1º de janeiro de 2018, será publicado neste espaço uma prestação de contas com todos os valores recebidos, todo o conteúdo produzido, todos os resultados obtidos e todos os impostos recolhidos.

To Top