facebook
Ir para o conteúdo

ONG de combate à corrupção quer a Lava Jato atuando em outros países

O Brasil já foi a sexta economia do mundo, mas, com a “crise Dilma”,  caiu para nono (e dá passos largos na direção da décima segunda posição). Contudo, se economicamente mostra-se fragilizada, politicamente a nação possui um significado bastante nobre: entre trancos e barrancos, é quarta maior democracia do planeta. Por isso, seus feitos políticos merecem ser exportados. E é basicamente o que defende a Transparência Internacional ao enaltecer a investigação mais protegida pela opinião pública brasileira.

Para José Carlos Ugaz, presidente da ONG especializada no combate à corrupção, a Lava Jato precisa não só cooperar juridicamente, mas conjuntamente investigar os sete países latino americanos onde as empreiteiras brasileiras cometeram crimes semelhantes ao Petrolão.

Ugaz está certíssimo. A Lava Jato não só se inspira na Mãos Limpas, como dá alguns passos adiante. Se em algum momento a matriz italiana perdeu a simpatia da opinião pública nos anos 90, a versão brasileira consegue dialogar com o noticiário e as redes sociais de maneira muito mais eficaz. A essa altura do campeonato, a Mani Pulite já havia entrado em curva descendente, perdendo força até resultar na chegada de Silvio Berlusconi ao poder. No Brasil, o trabalho capitaneado por Sérgio Moro segue se multiplicando, criando raízes em outras “repúblicas” além da curitibana.

Contudo, o trabalho no país ainda não está consolidado, o STF segue se esforçando para tirar de Moro o controle de investigações contra personalidades chaves do governo Dilma. Mais do que meter a mão na massa, o combate no Brasil pode servir de modelo para investigadores em outras federações. Afinal, por aqui, a sujeira era tanta que os procuradores precisam escolher as denúncias que atacarão, deixando, infelizmente, várias delas impunes.

De qualquer forma, a opinião da Transparência Internacional serve de justa homenagem a um raro orgulho nacional.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.