facebook
Ir para o conteúdo

Os Jogos Olímpicos que não ocorreram: Cortina d'Ampezzo, Itália, 1944, edição de inverno

Em 1927, Cortina d’Ampezzo sediou o campeonato mundial de ski, feito que se repetiria em 1941. A experiência deve ter encantado os membros do COI, que viram naquele minúsculo município italiano de 6 mil habitantes o local ideal para a realização da quinta edição dos Jogos Olímpicos de Inverno, agendada para 1944, batendo, em primeiro turno as imponentes Montreal e Oslo.
Mas a alegria italiana, que já não era tanta, uma vez que se encontrava dominada pelo fascismo, duraria pouco. Escolhida em junho, veria de dentro o início da Segunda Guerra Mundial em setembro de 1939, o que causaria o cancelamento do evento e adiaria para 1956 a realização dos sonhos dos anfitriões, que novamente bateriam Montreal na disputa, desta vez com Colorado Springs e Lake Placid, ambas americanas, completando a concorrência.
Aquela seria a quinta e última vez que os Jogos Olímpicos seriam cancelados, sempre em decorrência de conflitos geopolíticos (Primeira Grande Guerra, Segunda Guerra Mundial e Segunda Guerra Sino-Japonesa). E fecharia uma sequência péssima da parte do Comitê Olímpico Internacional, que lidaria com o imperialismo japonês (duas vezes), o fascismo italiano e o nazismo alemão.
Mas abusos políticos não deixariam a competição em paz. Nas décadas seguintes, ideologias das mais variadas vertentes usariam a competição como palco para propaganda e, tantas vezes, o horror.
Justamente esse será o tema da próxima série publicada nessa revista.
Para ler o capítulo anterior, clique aqui.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.