facebook
Ir para o conteúdo

Para cada família que ascendeu socialmente, 8 regrediram no último ano

Se havia alguma dúvida se a crise econômica negligenciada pelo governo Dilma Rousseff ampliou a pobreza no Brasil, uma recente pesquisa da ABEP vem com certezas: pela primeira vez desde 2008, ampliou-se a desigualdade no país. Enquanto a classe média encolhia, até crescia o número de ricos, mas oito vezes mais o de pobres.

Se as classes B1, B2 e C1 (com renda familiar média entre R$ 2.705,00 e R$ 9.254,00) perderam mais de um milhão de famílias, as classes C2, D e E (com renda média entre R$ 768,00 e R$ 1.625,00) ganharam 914 mil novas famílias. A diferença de 110 mil subiu para a classe A. Para cada lar que ascendeu socialmente no último ano, oito regrediram.

O infográfico abaixo ajuda a entender a dinâmica:

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.