facebook
Ir para o conteúdo

Petistas, foi Dilma

Um boeing não cai por um único erro, mas uma sequência deles. É assim também com presidente da República. Mas creio que um erro crucial para a queda de Dilma foi uma racha interno no próprio PT. E é incrível como a esquerda não percebeu isso.

O governo Dilma estava bem costurado quando Lula se retirou de cena para tratar um câncer. Este era o líder que, dentro do PT, compreendia a importância de manter uma boa relação com o PMDB. Dilma era da ala que disso morria de vergonha.

Sem o padrinho por perto, a presidente se uniu a Cardozo, Mercadante e Mantega para, juntos, dinamitarem qualquer ponte construída pelo ex-presidente.

O plano era Lula voltar em 2014 e governar até 2022. Mas a trupe não só passou-lhe a perna, como quebrou o país pela reeleição.

Na jogada mais estúpida, no que a primeira “Lista de Janot” nada encontrou de substancial contra Aécio, Dilma entendeu ser uma boa ideia jogar Renan Calheiros e Eduardo Cunha aos leões da imprensa. Numa única tacada, perdeu Senado e Câmara. E ninguém governa sem Congresso.

O mais curioso de tudo é que a história caminha para terminar com Lula na cadeia e Dilma no Senado. E o petismo sem conseguir tomar nota da placa do caminhão que o atropelou.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.