facebook
Ir para o conteúdo

O PT chama de golpe o mesmo impeachment que pediu contra Collor, Itamar e FHC

Em vez de usar os conhecimentos históricos que alegam o possuir, os governistas adoram mandar seus críticos estudarem história. Mas, ao chamar de golpe o processo de impeachment instaurado contra Dilma Rousseff, passam por cima do noticiário recente do Brasil, quando o próprio PT pediu o impedimento de todos os presidentes não petistas após a Constituição de 1988.

A primeira e principal vítima da sede petista por processos de impeachment foi logo Fernando Collor de Mello. Os recortes de jornal abaixo mostram que a iniciativa partiu do Partido dos Trabalhadores. As movimentações começam um ano antes da queda do ex-presidente.

Como todos sabem, Collor cairia em 29 de setembro de 1992, passando o cargo para Itamar Franco. Mas o novo presidente também seria vítima de um pedido de impeachment por parte do PT. No caso, proposto pelo mesmo Jaques Wagner que agora entregou a Casa Civil para proteger Lula dos avanços da Lava Jato.

Recorte da Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo em 30 de junho de 1994

Itamar Franco faria seu sucessor, que não só venceria em primeiro turno, como aprovaria a reeleição – o que não o faz merecedor de elogios, pelo contrário – e seria reeleito também em turno único. Todavia, já nos primeiros meses do segundo mandato, receberia do PT mais um pedido de impeachment:

Lula participa da entrega do pedido de impeachment de FHC.
Lula participa da entrega do pedido de impeachment de FHC.

Por que o PT chama de golpe o mesmo processo que pediu contra todos os outros presidentes da nossa jovem democracia? Ora, porque o PT chegou ao poder emplacando mentiras que o beneficiavam. E agora a única mentira que conseguem explorar na busca de alguma saída é a comparação com os acontecimentos políticos de 1964, pesadelo ainda mal superado pela nação.

Simples assim.

Curtiu o texto? Contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor e/ou siga-o no Twitter e Facebook.