Se rede social vencesse eleição, Donald Trump já poderia se considerar presidente dos EUA

Mesmo apadrinhada por um mestre da propaganda, Hillary vem sendo derrotada nas redes sociais

Barack Obama só entrou na corrida eleitoral um ano antes de se tornar presidente dos Estados Unidos. E bateria os adversários fazendo um uso espetacular das redes sociais. Hillary Clinton, a quem tenta transformar em sucessora, vem deixando bastante a desejar. Ao ponto de estar sendo superada por Donald Trump, o republicano que recentemente tomou a dianteira nas pesquisas de intenção de voto.

No Facebook, com 10 milhões de seguidores, Trump praticamente dobra os 5,1 milhões que seguem Clinton. No Twitter, com 10,4 milhões, o republicano atinge o melhor resultado, mas a distância é menor, já que a democrata gera interesse em 7,94 milhões. Até no Instagram o conservador obtém número mais significativo, com 2,1 milhões contra 1,7 milhão da progressista. Continuar lendo Se rede social vencesse eleição, Donald Trump já poderia se considerar presidente dos EUA

Desde que Dilma Rousseff foi reeleita, o total de desempregados cresceu 80% no Brasil

Há mais desempregados no Brasil do que gente em Cuba, Portugal ou Israel

Quando Dilma Rousseff foi reeleita, o IBGE foi às ruas com PNAD Contínua e encontrou 6,45 milhões de brasileiros na condição de desempregados. Na mais recente atualização do levantamento, esse dado saltou para 11,586 milhões, um aumento de 79,62%, ou 5,136 milhões a mais de brasileiros buscando emprego e não encontrando.

São números assustadores. O total de desempregados no Brasil é maior do que toda a população da Bolívia, o 75º país mais populoso do mundo. Nações como Bélgica, Cuba, Grécia, Portugal, Suécia ou Israel possuem menos gente do a massa desocupada brasileira.

Michel Temer recebeu mais do que uma herança maldita. Trata-se de uma tragédia econômica que prejudica direta ou indiretamente todas as famílias brasileiras.

Numa postura autoritária e burra, o governo de São Paulo tentou intimidar Danilo Gentili

O politicamente correto tenta mais uma vez censurar, desta vez com o apoio do governo de SP

O brasileiro passou os 21 anos do regime militar lutando pelo direito à liberdade da expressão. E ele viria não só com o fim da ditadura, mas com a Constituição de 1988. Desde então, toda uma geração já nasceu, cresceu e se esqueceu do que era sofrer limites estatais à expressão dos seus pensamentos. O Governo de São Paulo, que tinha tudo para abraçar a causa e acumular votos do eleitor que ainda valoriza esse nível de liberdade, não parece ser exceção aos demais.

Danilo Gentilli foi intimado a comparecer à Secretária da Justiça de São Paulo para, nas palavras do próprio humorista, “explicar por que eu uso minhas redes sociais para brincar com os meus seguidores“. E, segundo o relatado em seu perfil no Facebook, ouviria uma pergunta para lá de autoritária: “Você acha que pode fazer qualquer piada ou entendeu que não é com qualquer coisa que se brinca?Continuar lendo Numa postura autoritária e burra, o governo de São Paulo tentou intimidar Danilo Gentili

Sete em cada dez brasileiros competirão na Rio 2016 recebendo o “Bolsa Atleta”

Além do “Bolsa Atleta”, 101 brasileiros receberam o “Bolsa Pódio” de olho na Olimpíada

O Brasil conseguiu classificar 465 atletas para a Rio 2016. Destes, pouco mais da metade tinham direito à “Bolsa Pódio”, um auxílio entre R$ 5 mil e R$ 15 mil pago pelo Governo Federal para o Brasil cumprir a meta e ficar entre as dez nações mais medalhistas do evento – mas apenas 101 receberam o benefício.

Contudo, sete em cada dez atletas da delegação, conforme levantado pela Lupa junto ao Ministério dos Esporte, recebem o Bolsa Atleta, um benefício menor sem relação direta com a Olimpíada.

O ideal, claro, é que esse tipo de iniciativa partisse da própria iniciativa privada. Mas, para isso, o Brasil precisa praticamente nascer de novo.