“Crise Dilma” fez o Brasil perder 11 mil “ricaços” só em 2015

Os milionários da Ásia-Pacífico ficaram quase 10% mais ricos em 2015, com US$ 17,4 trilhões em ativos. Foi a primeira vez que superaram os milionários da América do Norte, que, mesmo enricando 2,3%, ficaram com “apenas” US$ 16,6 trilhões. Os europeus avançaram 4,8% e chegaram a US$ 13,6 trilhões. Independente da baixa do preço do petróleo, os do Oriente Médio viram a fortuna crescer 0,9% e acumularam US$ 2,3 trilhões.

Só duas regiões do mundo estiveram no caminho oposto: a África, que encolheu 1,8% e agora só ostenta US$ 1,4 trilhão; e a América Latina, graças ao Brasil. Continuar lendo “Crise Dilma” fez o Brasil perder 11 mil “ricaços” só em 2015

Teori já tirou de Moro três investigações contra ministros de Dilma

O primeiro foi Aloizio Mercadante, último ministro da Educação de Dilma. A investigação contra o petista nasceu da delação que Ricardo Pessoa, dono da UTC, acertou com a operação Lava Jato ao apurar o Petrolão. Como havia foro privilegiado em jogo,o material colhido foi remetido para Teori Zavascki, que disse não ver relação da denúncia com a Petrobras. Escolhido por sorteio, Celso de Mello entendeu que o caso não deveria ser devolvido para Curitiba, mas para São Paulo, 408 km distantes de Sérgio Moro.

O segundo foi Edinho Silva, ex-tesoureiro da campanha de Dilma. Quando a Lava Jato chegou a Brasília, a petista o colocou no comando da SECOM, garantindo-lhe foro privilegiado. Com o afastamento da presidente, Edinho foi exonerado, mas Teori mais uma vez disse que o caso não tinha ligação com a Petrobras, remetendo-o à Justiça do próprio Distrito Federal, e ignorando mais uma vez que a denúncia havia sido levantada pela Lava Jato. Continuar lendo Teori já tirou de Moro três investigações contra ministros de Dilma

O PT já não mete medo nem mesmo em quem sabe do que ele é capaz

Paulo Bernardo só foi preso porque Alexandre Romano, o Chambinho, decidiu contar o que sabia. Apesar de o caso Delcídio Amaral ter causado estragos antes, o ex-vereador pelo PT de Americana, São Paulo, é considerado o primeiro delator do petismo. Mas a dupla não deve ser a única.

João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do partido, está negociando um acordo de delação premiada. Renato Duque, que operava para o PT dentro do Petrolão, também tem interesse abrir a boca. Continuar lendo O PT já não mete medo nem mesmo em quem sabe do que ele é capaz

Cada participante do Petros herdou um rombo de R$ 300 mil do Petrolão

A CPI dos Fundos de Pensão encontrou R$ 64,62 bilhões problemáticos juntos aos quatro maiores do país (Previ, Petros, Funcef e Postalis). Desse total, R$ 58 bilhões faziam referência ao rombo acumulado até 2015, e o restante era o resultado da soma de fraudes em aplicações financeiras.

Agora, o Petros fechou a conta: os três planos administrados pela Petrobras fecharam 2015 com déficit somado de R$ 23,1 bilhões. Só o PPSP, o maior e mais antigo deles, está R$ 22,6 bilhões no vermelho. É como se cada um dos 76 mil participantes tivesse até o ano passado acumulado prejuízo próximo dos R$ 300 mil. Continuar lendo Cada participante do Petros herdou um rombo de R$ 300 mil do Petrolão