A Lava Jato conseguiu: políticos e empresários estão com muito medo do caixa 2 nessa eleição

Com pouca grana, os candidatos precisarão já na campanha mostrar que são bons gestores

Restando apenas três semanas para o início das eleições, Fernando Haddad possui apenas R$ 60 mil para buscar um segundo mandato consecutivo. O número soa ainda menor ao se considerar que se trata do prefeito da cidade que possui o maior teto de gastos do país. Ironicamente, a quantia equivale a apenas 0,13% dos R$ 45 milhões que a lei permitirá investir no primeiro turno, ou 0,3% dos R$ 20 milhões que o Partido dos Trabalhadores acredita ser possível arrecadar – a mesma meta mirada pelos rivais do PSDB.

As dificuldades não nascem apenas dos novos rumos da lei, que limita os gastos a 70% da campanha mais cara de 2012, e impede doações de empresas. Porque se trata de um setor que sempre usou e abusou de caixa 2. Mas, agora em 2016, a história é outra. De um lado, políticos sabem que a fiscalização sobre a origem da verba será maior que a média histórica. E os mais endinheirados temem que findem na cadeia como tantos empresários que foram detidos por operações da Polícia Federal desde 2013. Continuar lendo A Lava Jato conseguiu: políticos e empresários estão com muito medo do caixa 2 nessa eleição

Afinal, sabia de algo? Dilma já disse desconhecer o Petrolão, Pasadena, Maranhão e o caixa 2

Se qualquer um roubava sem Dilma saber de nada, por que confiar a ela a Presidência?

Quando candidatou-se à Presidência da República, Dilma Rousseff foi defendida por Lula, o PT e o governismo como sendo ela a pessoa mais preparada para dar continuidade ao “crescimento chinês” vivido pelo Brasil em 2010. Seis anos depois, a petista tenta se safar da Justiça alegando que nada sabia sobre alguns dos mais graves crimes cometidos no país por obra de seus comandados diretos.

O rastro da desfaçatez está quase todo registrado no perfil que ainda mantém no Twitter. Em 24 de outubro de 2014, quando ainda buscava a reeleição, a presidente usou a rede social para negar que tivesse algum conhecimento do esquema corrupto que quebrava a maior estatal no país. Contudo, meses depois, quando a delação colhida pela Lava Jato tornou-se pública, confirmou-se que a capa da Veja dizia a verdade. Continuar lendo Afinal, sabia de algo? Dilma já disse desconhecer o Petrolão, Pasadena, Maranhão e o caixa 2

Dilma gastou em 35 mil alunos do CsF a mesma verba de projeto voltado a 39 milhões de pobres

Cada bolsista do Ciência sem Fronteiras recebeu 1.117 vezes mais verba que os alunos do PNAE

O Programa Nacional de Alimentação Escolar é muito antigo. A implementação data de 1955. Desde então, vem oferecendo alimentos e educação nutricional a alunos da educação básica matriculados em escolas públicas, filantrópicas e em entidades comunitárias de todo o Brasil. Ao todo, 39,1 milhões de estudantes são beneficiados pelo PNAE. Mas, curiosamente, o projeto consumiu em 2015 a mesma quantidade de recursos de um outro mais famoso e restrito.

O Ciência sem Fronteiras é bem mais jovem, completará 5 anos nesse 26 de julho de 2016. O programa busca incentivar a formação acadêmica no exterior. Para isso, oferece bolsas de iniciação científica a estudantes do ensino superior. Em 2015, apenas 35 mil brasileiros foram agraciados com os recursos do projeto. Mas eis que foram gastos os mesmos R$ 3,7 bilhões do Alimentação Escolar. Continuar lendo Dilma gastou em 35 mil alunos do CsF a mesma verba de projeto voltado a 39 milhões de pobres

Antes de confessarem o uso na campanha dela, Dilma pregava a criminalização do caixa 2

Em 2015, Dilma respondeu à maior manifestação política da história com espetáculo de cinismo

Como nunca antes na história da gestão petista, Dilma Rousseff estava sendo pressionada pela opinião pública naquele 18 de março de 2015. Apenas três dias antes, a maior manifestação política da história do país levou milhões de brasileiros às ruas exigindo o impeachment da presidente recém reeleita. Em resposta ao protesto, o Governo Federal apresentou um “pacote anticorrupção” com destaque para seis medidas que nunca passariam de promessa.

A primeira delas, contudo, soa por demais cínica quando confrontada com o noticiário recente. Nela, como se já não fosse algo repugnante, Dilma propunha “transformar a prática de caixa 2 e lavagem de recursos para fins eleitorais em crime“. Há poucos dias, tanto João Santana, quanto a esposa do publicitário que elegeu e reelegeu a sucessora de Lula, confessaram à operação Lava Jato que foram pagos pelo caixa 2 da campanha da vencedora. Continuar lendo Antes de confessarem o uso na campanha dela, Dilma pregava a criminalização do caixa 2